REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

domingo, 2 de outubro de 2016

O poder de Oya Funan.


Então Oyá se recolheu 
E na floresta se escondeu,
Mas seu coração é um mar revolto 
E quando seu poder foi solto
Os ventos retalharam a floresta da morte
E por nove dias não ouve sorte
Foi um estrondo de um nota só
A destruição na tormenta de Eboykó

Nos nove dias de tormenta
O coração dela não se apaziguou
E os nove nomes de Igbale
Ela finalmente gritou!

Feiticeiras me deixem paz!
Sou Furé !

Os Eguns sob os meus pés!
Sou Egun-Nitá!

Os nove mortos sairam de mim!
Sou Tonimbé!

Na Boca tenho o estrondo do trovão!
Sou Gerê!

Eis a dona da floresta da morte!
Sou Adangambára!

Os pássaros também me servem!
Sou Eleyé!

O culto aos mortos é meu!
Sou Fakarebó!

Tenho as chaves dos nove portões!
Sou Padá!

E por fim ela gritou com sua voz estrondosa!
A dona do vento mora nesta floresta!
OYA FUNAN HEY!

O vento do mar e vento da terra
Ela é Funan
Ela pintou o rosto de branco
Ela usou a mascara de Ajimudá
Ela é uma rainha
E todo seu séquito são de mortandades
Ela é magnífica!
Ela é terrível!
Foi esse Orisa que andou com Ogun
Foi esse Orisa que protegeu Odé
Foi esse Orisa que gerou as deidades
Foi esse Orisa que foi considerado perigoso
Esse Orisa é Oyá Funan!
Orisa que usa palhas na cabeça
Que se veste como as bruxas dos pássaros!
Ela se veste de branco
Mas isto não a apazígua!
Oya Funan no centro do bambuzal!
Hepa Hey Orisa da Morte!
Os tambores a saúdam batendo com veemência!
Hepa Oya Funan!
Poderosa Ayaba!

Hepa Hey Oya!

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis