terça-feira, 3 de novembro de 2015

Linha dos Baianos


Os Baianos da Umbanda são guias que se apresentam com forte traço regionalista, principalmente em seu modo de falar cantado e arrastado. Pertencem à Linha das Almas, a mesma dos Pretos-Velhos. 
É uma linha que traz uma mensagem de conforto, ensinando como lidar com as adversidades do dia-a-dia, com alegria, flexibilidade, magia e brincadeira sadia. Têm imenso conhecimento do Axé e das ervas.


O Baiano representa a força do fragilizado, aquele que sofreu e aprendeu na escola da vida e, portanto, apto a ajudar as pessoas. Muitos dos Baianos que se apresentam nas giras são descendentes de escravos que trabalharam no canavial e no engenho.


A Linha dos Baianos é formada por espíritos alegres e descontraídos, mas não são zombeteiros. Os Baianos apresentam comportamento comedido, apesar de sua alegria e espontaneidade.


Trabalham desmanchando demandas. São conselheiros e orientadores, principalmente em relação à fé, transformando a tristeza em alegria e esperança. Falam muito em "Nosso padrinho Padre Cícero" e em "Nosso Senhor do Bonfim".


Gostam de dançar suas danças típicas, podem usar chapéus de couro ou palha, costumam utilizar em suas magias o coco, água de coco, e outros elementos de sua região de origem.


Na Linha dos Baianos enquadram-se, também, os Boiadeiros que foram trabalhadores do sertão nordestino. Tanto os Baianos como os Boiadeiros são Linhas Auxiliares da Umbanda, portanto, não chefiam cabeça de médium.