REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

terça-feira, 8 de março de 2016

Quem É O Orixá Eleguá?

Quem é o Orixá Eleguá? Todos os orixás receberam de Olorum (Deus) seu axé, ou virtude, dom. Uma vez encerrada a grande tarefa de fazer o mundo, o Pai eterno repartiu o Universo entre seus filhos. Antes de se retirar para o orum (céu), cada um dos príncipes recebeu, por méritos reconhecidos, o que hoje lhe pertence: Olokum, o mar;Aganju, o cerrado; Okê, as montanhas; Orixá Okô, os campos semeados;


Ogum, os metais; Oxóssi, as matas; Ossain, as ervas, e assim por diante. A verdade guardada nessa interpretação é o fato de que todos os orixás vieram com uma missão para cumprir no ayê (terra).

Por ser o caçula do clã, inicialmente Eleguá (Exú) fica sem desempenhar cargo algum. Mimado, desobediente, não tem grandes nem pequenas responsabilidades. Apesar da personalidade brincalhona, travessa, do caráter irascível e inconveniente, é uma criança extremamente talentosa. Todavia, extrapola os limites da decência, e ninguém leva em conta suas qualidades. As pessoas não têm paciência, não querem e não sabem lidar com ele. Como punição, sua presença é repudiada.

O desprezo e a rejeição são dos piores castigos que pode haver para uma criança.Eleguá (Eshu) não se conforma e ainda tenta uma reaproximação, oferecendo ao rei um singelo presente, a semente de obi, que gera algum efeito na hora, mas, três dias depois, cai no esquecimento. Sem água, o obi murcha, fica seco, perece, como uma flor abandonada. Esse evento simboliza a morte de Eleguá, sua passagem do ayê para o orum.

Uma série de situações inesperadas ocorre a partir desse ponto. A vida de todas as pessoas é afetada. Algumas sofrem mais, outras menos, mas o revés da sorte é geral. Recorrer ao Ifá parece inevitável e o rei pede ao babalaô para consultar o oráculo sobre a causa dos transtornos. O babalaô utiliza o opelê, o colar de favas, e os ikin, os caroços de dendê, no jogo da adivinhação. E a resposta sai no signo Okanrã. Esse é o odu em que Eleguá (Elegara) toma a voz para dizer que ninguém se lembra dele. A segunda resposta do jogo confirma o motivo da reviravolta. E a terceira dá o ebó que precisa ser feito para contentar Eleguá (Elegbara).

Quem É O Orixá ELEGUÁ?

De acordo com a tradição, quando Eleguá parte do ayê para o orum, ele recebe, entre outros poderes, o título do primeiro signo Okanrã, o que lhe dá direito de falar quando esse odu sai no jogo do Ifá.
A estrutura das três perguntas é um procedimento fundamental. Para os yorubás, três é o número que confirma e desempata. Três vezes é uma só.

Para contornar a situação e prevenir novos transtornos, o babalawo prescreve um ebó, mas avisa que apenas isso não é suficiente para manter as coisas em ordem por longo tempo. Seria preciso tomar o cuidado de contenta-lo sempre, procurar tolerar suas brincadeiras e dar a ele o direito de comer primeiro nos dias de grande festa.

Por isso Eleguá (Exú) é o santo que recebe as oferendas em primeiro lugar, e é o primeiro para quem se toca o tambor no culto aos ancestrais yorubás. Essa espécie de esqueleto da mitologia permanece viva em todas as paragens sul-americanas, antilhanas e caribenhas. Os relatos e Orikis de Exú que exaltam a importância desse orixá – e revelam por que devemos procurar tê-lo ao nosso lado em todos os momentos – são inúmeros.

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis