REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Kelê, kele






Kelê, kele ou quelê é um fetiche ou seja: Objeto inanimado feito pelo homem ao qual se atribui poder sobrenatural e se presta culto. Cofeccionado com "miçangas" fio de conta, intercalada com firmas de porcelana, pedras tipo ágata e cristal, terra cota, búzios, lagdba, até mesmo sementes. Sua cor varia de acordo com o orixá de cada iniciado na feitura de santo. O Kelê é uma aliança que tem a finalidade de unir o sagrado com o iniciado, num simbolismo de casamento perfeito com o seu orixá, usando restritamente no pescoço, na iniciação, obrigação de três, sete, quatorze e vinte e um anos de feitura. Depois de um período que pode variar de 12, 14, 16, 21 e até mesmo três meses da obrigação ritualistica, a "jóia" do orixá como também é chamada, é determinado pelo orixa, através do merindilogun a ser colocada no assentamento sagrado "Igba orixa", podendo permanecer até a ultima obrigação do iniciado chamada de axexê, quando este objeto tão sagrado e místico é desfeito. Artigo e fotografia publicado na Wikipédia 01h30min de 29 de dezembro de 2008, por Toluaye. Embora não seja habitual se partir, rouper ou quebrar o Kelê, mas quando isso acontece não necessariamente significa um mau presságio, quebra de precito, pensamentos impuros, palavões etc. e tal. Todavia pode acontecer pelos movimentos bruscos, suores com grande quantidade de gorduras corporal ou simplesmente um descuido dos laços utilizados no momento da sua colocação. 

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis