REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

terça-feira, 13 de outubro de 2015

A Lenda Que Logun Edé Devolve A Visão A Erinlé


Conta a Lenda que Orixá Logun Edé devolve a visão ao Orixá Erinlé, após quebrar um tabu com as mães ancestre Iyamim Oxorongá (as feiticeiras, ou bruxas).
Logum Edé era um faceiro caçador. Erinlé o conheceu e foram caçar juntos.
Eram filho e pai, mas um do outro não sabia. Logum Edé era muito sedutor e Erinlé se apaixonou por ele. Ambos caçavam mais que todo mundo; eram os dois os maiores dos odés.

Logun Edé flechava todos os pássaros, mas respeitava os pássaros das feiticeiras. Com as IymimOxorongá tinha esse pacto e delas guardava alguns segredos.

Levava a tiracolo o adô que ganhara das velhas bruxas, um bornal repleto de fórmulas mágicas e mistérios.

Um dia Logum Edé se distraiu e Erinlé matou o pássaro proibido.

As lá Mi imediatamente se vingaram e mandaram um feitiço que cegou a ambos. Logum Edé então abriu o adô que carregava e retirou o mistério das Yá Mi.
Pôde com ele devolver a Erinlé a luz do sol e o brilho das estrelas.

Cego, partiu Logum seguido por Erinlé e acabaram chegando à lagoa onde Oxum se banhava e lavava suas pulseiras, Logum Edé aproximou a mãe do companheiro (Erinlé) e dentro d'água um amor antigo renasceu.

Dessa nova união de Erinlê e Oxum nasceu um novo rio, o rio Inlé, e nasceu um peixe que foi montado por Logum.

Nas águas de Inlé nadou o peixe e levou Logum Edé para as profundezas.
Foi la que Logunedé conheceu Iemanjá, que o adotou e lhe deu riquezas de seu reino.

Nas margens desse rio ele vive, desde então, por certo tempo, voltando a viver na mata no tempo seguinte.

Logun Edé, o caçador das matas, ganhou assim os peixes de Iemanjá.

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis