REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Allan Kardec, o Codificador do Espiritismo




Mês de nascimento de Allan Kardec, conheça um pouca de sua história e de sua obra.

Neste mês de outubro, não poderíamos deixar de mencionar o nascimento deste ícone da Doutrina Espirita. No dia 3 de outubro de 1804 nascia em Lyon, França, Hippolyte Leon Denizard Rivail. Como um raio de sol a iluminar a escuridão, este espírito de elevado padrão moral nasce para trazer aos homens a esperança de um futuro melhor e a certeza de que sempre teremos uma nova chance para corrigirmos nossos erros.
Foi um influente educador, autor e tradutor francês. Discípulo de Johann Heinrich Pestalozzi e um dos pioneiros na pesquisa científica sobre fenômenos paranormais.

Com o pseudônimo de Allan Kardec trouxe a luz à Doutrina dos Espíritos.

Mesas girantes 1854

Em 1854, o Professor Rivail ouviu falar pela primeira vez do fenômeno das “mesas girantes”, através do seu amigo Fortier. Como pesquisador não acreditou de fato logo na primeira experiência, mas só em maio de 1855 resolveu pesquisar efetivamente sobre as mesas, quando começou a frequentar as reuniões.
Dedicação até o desencarne

Kardec pesquisador obstinado dedicou seus últimos anos de vida totalmente a divulgação da doutrina, através da Revista Espírita e do Jornal de Estudos Psicológicos. Desencarnou em Paris em 31 de março de 1869, aos 64 anos de idade, em decorrência da ruptura de um aneurisma. Na época, trabalhava numa obra sobre as relações entre o Magnetismo e o Espiritismo, ao mesmo tempo em que se preparava para uma mudança de local de trabalho.

Está sepultado no Cemitério do Père-Lachaise, na França. Na lápide de seu túmulo seu lema: “Nascer, morrer, renascer ainda e progredir sem cessar, tal é a lei”, em francês.
Livros pedagógicos escritos pelo professor Rivail
1824 – Curso prático e teórico de Aritmética, segundo o método de Pestalozzi;
1828 – Plano Proposto Para a Melhoria da Instrução Pública;
1831 – Gramática Francesa Clássica;
1831 – Qual o sistema de estudo mais consentâneo com as necessidades da época?;
1846 – Manual dos exames para os títulos de capacidade;
1848 – Catecismo gramatical da Língua Francesa;
1849 – Programa dos Cursos ordinários de Química, Física, Astronomia, Fisiologia;
1849 – Ditados normais dos exames da Municipalidade e da Sorbona;
1849 – Ditados especiais sobre as dificuldades ortográficas.
Obras Espíritas

As cinco obras fundamentais do Espiritismo, sob o pseudônimo Allan Kardec são:
O Livro dos Espíritos, Princípios da Doutrina Espírita, publicado em 18 de abril de 1857; Contracapa da versão de 1860 de “O Livro dos Espíritos”;


O Livro dos Médiuns ou Guia dos Médiuns e dos Evocadores, em janeiro de 1861;
O Evangelho segundo o Espiritismo, em abril de 1864;
O Céu e o Inferno ou A Justiça Divina Segundo o Espiritismo, em agosto de 1865;
A Gênese, os Milagres e as Predições segundo o Espiritismo, em janeiro de 1868.

Após o seu desencarne:
Obras Póstumas, em 1890.
Curiosidades espiritas

– O pseudônimo Kardec advém da revelação de um espírito sobre uma das encarnações deste nosso grande amigo, na Gália, junto aos druidas onde ele se chamava “Allan Kardec”.

– Outra informação obtida através de comunicação dos espíritos seria a de que ele era a reencarnação de Jan Hus, reformador religioso do século XV.

Isto ocorreu no 4º congresso Mundial em Paris, no ano de 2004, através do médium Divaldo Pereira Franco, em que o mesmo psicografou ao inverso e em francês, uma língua que este não dominava.

Consta que esta informação já foi citada em diversas fontes, o que vem de acordo com a observação de Kardec:


Uma só garantia séria existe para o ensino dos Espíritos – a concordância que haja entre as revelações que eles façam espontaneamente, servindo-se de grande número de médiuns estranhos uns aos outros e em vários lugares.

Somos sementes pequeninas no universo do Pai a crescer com o alimento que nos é dado por este e vários outros espíritos abnegados que se sacrificam por nós por toda a eternidade.


FONTE:

por Ivone Navas Munoz e Marcia Rubinatti

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis