REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

domingo, 1 de maio de 2016

COISAS DE TERREIRO... Dia de Festa.


É certo que todas as pessoas que hoje são médiuns de uma corrente de Umbanda, no ontem eram parte integrante da assistência do terreiro.

Nesta fase, as pessoas costumam fazer do terreiro em questão, um ponto focado de observação minuciosa. Tudo e absolutamente tudo é observado.

- Observa-se a vibração do terreiro, se é agradável; se é amigável; se é séria; se é comprometida com o astral superior; etc.

- Observa-se as entidades, suas manifestações; suas maneiras de trabalhar; suas mensagens; seus aconselhamentos; seus estereótipos; etc.

- Observa-se o corpo mediúnico, o entrosamento das pessoas; a maneira como se comportam e se relacionam; a maneira como recebem a assistência; o tipo de conversa que trocam entre si; como se vestem e até a higiene pessoal é observada.

- Observa-se os Pais no Sagrado, o trato que eles dão aos médiuns e à assistência, o comportamento em geral diante dos trabalhos e, também o terreiro em si e o funcionamento como um todo.

Tudo isto com o intuito de avaliação.

Chega então um grande dia, todos estão comentando que será festa de um determinado Orixá, o simples fato do assistente saber desta notícia já o motiva e o deixa ansioso para ver como será a tal festa.

De início ele já nota uma diferença na casa, tudo arrumado com mais cuidado e capricho, existe uma maior quantidade de vasos ornamentados no recinto, toalhas especiais, tudo muito organizado e limpo enfim, nota-se que o terreiro, assim como em sua casa, foi preparado para receber visitantes de uma forma especial.

O corpo mediúnico animado cantam com mais vontade os pontos e num determinado momento são servidos pratos de saborosos alimentos. Tudo é feito com muito carinho o que lhe dá uma sensação mais agradável ainda.

Que lindo, que delícia, realmente foi um dia especial vivido dentro do terreiro! Pensa o assistente.

Chega um determinado momento em que essa pessoa que até então fazia parte da assistência manifesta o desejo de fazer parte do corpo mediúnico e depois de cumprida todas as exigências da casa, lá está ele todo de branco do lado de dentro, no Congá.

E do lado de cá ele começa a perceber o quanto aqueles médiuns se esforçam e trabalham para oferecerem aqueles dias tão especiais para a assistência. É preciso colaboração para o preparo dos pratos que serão servidos, para ornamentar adequadamente o terreiro, para organizar e limpar, até que tudo esteja perfeitamente preparado para o momento da festa que se realizará no dia. No final de tudo ainda resta toda sujeira e bagunça deixada por aquelas pessoas que estavam na assistência que será cuidadosamente limpa e arrumada pelos médiuns antes de irem embora, apesar do cansaço de um dia longo e agitado.

Alguns compreendem a importância deste compromisso e se entregam comprometidos colaborando o máximo possível para manter o terreiro da mesma forma que um dia os encantou porém, outros esmorecem. Arrumam desculpas para não chegar com antecedência e, não ajudarão na arrumação e preparo da festa; e assim que os trabalhos terminam saem de fininho deixando todo o trabalho ainda restante para seus irmãos de corrente.

Com o passar do tempo os Pais no Sagrado acabam percebendo que sempre são os mesmos filhos que lá estão dedicados realizando todas as tarefas necessárias que deveriam ser realizada por todos.

Não demora para haver comentários ou posturas que deixam a entender que estes, que ficam até o final cumprindo suas obrigações são os queridinhos do terreiro.

Fiz este texto para explicar exatamente este ponto. Não, eles não são os queridinhos.

O que ocorre realmente é que os Pais no Sagrado tem como missão manter o terreiro dentro de um padrão de atendimento e organização que seria impossível se não houvesse quem o ajudasse, sendo assim, estes filhos comprometidos tornam-se grandes aliados numa causa em comum.

O tempo que eles ficam a mais no terreiro, limpando e organizando, acaba sendo um tempo onde a amizade entre eles e os Pais no Sagrado vai se consolidando e há uma troca natural de pessoas que lutam por manter aquilo que inicialmente "todos" se propuseram.

Sendo assim, filhos de fé, antes de julgarem ou maldizerem seus irmãos ou seus Pais no Sagrado, avaliem-se honestamente e observem se vocês cumprem com suas tarefas ou com aquilo que se propuseram ao solicitar a permissão para fazer parte do corpo mediúnico.

Voltem ao hábito de observar, só que desta vez, observem se vocês fazem o seu melhor, se vocês são médiuns comprometidos ou médiuns que apenas desfrutam de tudo de bom que a casa oferece, observem se tais maledicências ditas por vocês não passam de raiva por não conseguirem desfrutar deste bem querer sem se esforçarem para tal, assim como fazem com todo o resto, observem se seus comportamentos são de compromisso real ou apenas uma máscara.

Todos enxergam quem são vocês, tanto no plano físico como no plano astral e posso garantir que a única pessoa que vocês conseguem enganar são vocês mesmos. Tenham uma postura adulta, que o são e, assumam suas responsabilidades que com certeza vocês também se tornarão um "queridinho" do terreiro.

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis