REVISTA CARAS EM 2011

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Èsù na consulta divinatória



Apesar de profunda sabedoria, conhecimento e autoridade de Òrúnmìlà, às vezes ele fica na dependência do poder de Èsù, por este ser o GUARDIÃO DO ÀSÉ, representação da autoridade e do poder divino com o qual Olódùmarè criou o universo e manteve suas leis físicas. Èsù é, certamente, a divindade mais chegada a Òrúnmìlà, mas o seu relacionamento nem sempre é cordial, isso porque Èsù como fiscalizador universal, é imprevisível e não pode, por consequência, ser aliado permanente de alguém.

 

Èsù é o poder responsável que leva todos os sacrifícios e oferendas para as divindades, embora alguns mitos revelem que é a sua mulher - AGBÈRÙ - quem os recebe para entregar depois a ele. Èsù só não transporta oferendas para Deus - Olódùmaré - pois os yorubás acreditam que Ele não pode ser influenciado por oferendas, daí o dito "Tani le f'Olódùmarè lébo?" (Quem ousa oferecer sacrifícios a Olódùmarè?).

O que é prometido deve ser cumprido. Èsù premia ou pune aquele que realiza o sacrifício e o que deixa de fazê-lo. Sobre isso diz-se: "Eni ó rúbo l'Èsù gbè" (Èsù apóia somente aqueles que oferecem o sacrifício).

Alguns títulos e designativos revelam a sua função no transcorrer dos ritos:


ÈSÙ ELÉBO: o dono e regulador das oferendas (ebo)
ÒJÍSE EBO: mensageiro das oferendas
ELÉRÙ: senhor dos carregos (erù)
ÒSÉTÙWÁ: odù dos carregos
ÈSÙ OLÓBE: o dono da faca que esconde sob seus cabelos
ÈSÙ OLÓNA: o senhor de todos os caminhos
ENÚGBARIJO: boca coletiva (princípio da comunicação)
Òrúnmìlà utiliza-se do ÀSE de Èsù, do seu poder e de suas funções acima relacionadas, para atuar e se expressar.

Em um dos Oriki de Èsù, destacamos alguns trechos para verificar como se processa a sua atuação:

1- Èsù òta òrìsà
(Èsù inimigo dos òrìsà)
2- Òsétùwá ni oruko Bàbá mò ó
(Òsétùwá é o nome que o Pai o chama)
3- O lé sonsó sí esè elésè
(Ele que senta no pé das pessoas)
4- A kìì lówó láì mú ti Èsù kúrò
(Aquele que tem dinheiro dá uma parte para Èsù)
5- A kìì láyò láì mú ti Èsù kúò
(Aquele que tem felicidade dá uma parte para Èsù)
6- Èsù àpáta sómo olómo lénu
(Èsù faz a pessoa falar o que não deseja)
7- O fi okúta dípò iyò
(Ele usa uma pedra em vez de sal)
8- Olópa Olódùmarè lailai
(O fiscal de Olódùmarè desde os tempos imemoriais)
9- Epo l'érò Èsù
(Epo - azeite-de-dendê- acalma Èsù)
'0- Oníbòdè Olórun
(O porteiro de Olórun)
11- Tani o gbà ebo?
(Quem recebe o nosso ebo?)
12- Èsù ni yio gbà ebo wa
(É Èsù que receberá nosso ebo)
13- Èsù gbe eni se ebo l'ore o
(Èsù apóia a pessoa que faz o ebo bem feito)
14- Èsù bò wá ba wa ré ìkóríta
(Èsù venha, acompanhe-nos até a encruzilhada)
15- Oba ló ni òpó
(O rei faz uso do trono)
16- Èsù ló ni ìkóríta méta
(Èsù faz uso da encruzilhada)
17- Jé a mú àse bò ìkóríta o
(Permita que voltemos da encruzilhada com àse)




(Extraído do livro "Jogo de Búzios: Um Encontro com o Desconhecido" de José Beniste, com adaptações)

Compartilhe

WhatsApp Windows Gadget Pocket Flipboard Blogger Facebook Twitter Google+ LinkedIn Pinterest Addthis